Direito à moradia e à cidade em Pato Branco – PR: um estudo de caso no Bairro São João

  • Elaine Pizzato UNIOESTE

Resumo

Esta pesquisa tem como objeto de estudo a formação do bairro São João, localizado na malha urbana, zona oeste, do município de Pato Branco – PR; levando em consideração que a criação do bairro, no início da década de 1980, foi uma estratégia do poder público para retirada das famílias que residiam nas imediações da BR 158, que atravessa parte da cidade. O objetivo geral desta pesquisa é analisar em que medida a execução da política nacional de habitação no município de Pato Branco contribuiu para a efetivação dos direitos de moradia e à cidade, no caso do bairro São João. Esta pesquisa é um estudo de caso qualitativo e exploratório. A construção histórica da pesquisa empírica contou com informações coletadas informalmente com a população que tem conhecimento da história da formação do bairro e pesquisa em jornais e legislações locais, bem como com entrevista direta junto ao universo da pesquisa.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Mestra em Serviço Social pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, Campus de Toledo. Graduada em Serviço Social da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, Campus de Toledo. Ex-integrante do Programa de Educação Tutorial - PET, pela SESu/MEC; com linha de pesquisa no tema do Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Ambientais e Sustentabilidade - GEPPAS: Ética do Meio Ambiente, Políticas Ambientais, Sustentabilidade e Novos Direitos. Especialista em Gestão Social: Políticas Públicas, Redes e Defesa de Direitos, pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, Polo de São Lourenço do Oeste (SC). Atua na área de Proteção Social Básica no município de Pato Branco - PR

Publicado
24-06-2017
Como Citar
PIZZATO, Elaine. Direito à moradia e à cidade em Pato Branco – PR: um estudo de caso no Bairro São João. Revista Jurídica, [S.l.], p. 242-266, dez. 1969. Disponível em: <http://revistajuridica.fadep.br/index.php/revistajuridica/article/view/24>. Acesso em: 24 jun. 2017.
Seção
PRODUÇÃO EXTERNA